Burnt Offerings

Clássicos | A Mansão Macabra é um dos grandes filmes sobre casas mal-assombradas

O clássico de terror A Mansão Macabra (Burnt Offerings, 1976) acompanha uma família que aluga uma casa para passar o verão. O local, uma verdadeira mansão, é oferecido pelos proprietários por um preço bastante acessível. Em troca desta barganha, a família assume duas responsabilidades: preservar a casa (fazendo pequenas reformas, caso necessário) e cuidar da matriarca da família, uma mulher idosa que vive no andar de cima.

Segundo o casal de irmãos de quem a família é locatária, a mãe deles quase nunca sai do quarto. Eles provavelmente nem vão vê-la durante todo o verão. E não haverá problema algum, desde que eles levem uma bandeja com comida três vezes ao dia. Eles devem deixar a bandeja no quarto adjacente e sair sem perturbar a mãe. Parece um pequeno preço a se pagar por um bom negócio, mas num filme de terror isso raramente é verdade.

A Mansão Macabra Burnt Offerings

O diretor Dan Curtis (Maldição das Sombras) adota um estilo lento. Inicialmente, notamos apenas pequenos eventos estranhos acontecendo pela casa: uma planta morta ganha vida e uma lâmpada queimada acende de repente. Logo, porém, a casa parece recuperar a sua antiga glória e ganhar vida. Mas ela cobra um preço alto e a relação da família passa a ser prejudicada.

A mãe (Karen Black) fica obcecada pela misteriosa dona da casa, servindo-a constantemente e passando muito tempo no quarto dela. O pai (Oliver Reed) sofre alguns ataques de violência inexplicáveis, além de ser assombrado por pesadelos que mostram o funeral da sua família. E a tia (Bette Davis), que acompanhou a família na viagem, aparenta estar cada vez mais cansada e doente.

A Mansão Macabra Burnt Offerings

O filme oferece uma crítica à sociedade capitalista e à exploração dos trabalhadores empreendida pelos donos dos recursos. A manutenção da mansão, símbolo de opulência, depende do trabalho e do sacrifício daqueles que a habitam. É significativo, portanto, que os irmãos locatários afirmem que só alugam a casa para as pessoas certas. Também não é à toa que a arquitetura da casa lembre as casas das plantations da época da escravidão.

Tudo isso, porém, está no subtexto. Na superfície, A Mansão Macabra é um terror sobre personagens que embarcam em uma espiral de loucura até o ponto em que a tensão entra em ebulição, e as consequências são catastróficas. É uma obra hipnótica e instigante. Um dos grandes filmes de casas mal-assombradas que merece ser (re)descoberto.

Assista ao trailer de A Mansão Macabra:

P.S: Falei sobre esse filme em um episódio do Podcast 7 Marte sobre Casas Assombradas. Ouça o episódio aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *